31 de ago de 2011

Sem celular, nada de fotos - blog parado


Já está completando um mês que perdi meu celular. Não tinha ideia do transtorno que isso significa.
Não perdi apenas uma lista infindável de números de telefones, mas a câmera com a qual registro momentos bons e ruins da região.

Blog parado... momentos não registrados.

Já arrumei um outro celular, mas ainda não me adaptei a ele. Tirei dezenas de fotos, mas elas estão morando no aparelho - Será que é a idade que dificulta a adaptação as mudanças ou será o signo (touro)?

Enfim... resolvi dar tempo ao tempo e ter calma para transpor um mês difícil onde o caminho Laranjeiras/Servidores e Laranjeiras/Samaritano foi feito quase diariamente. Pessoas próximas precisando de apoio e atenção.

Acredito que eu volte a postar no dia 15 de setembro, quando o site Bairro das Laranjeiras comemora seis anos no ar. Uma batalha dura e divertida, que adoro.

Para comemorar, como faço com meu aniversario; um evento. Este ano estou organizando o Projeto Convivência Verde - que vai acontecer no feriado - 7 de setembro.
Começa as 9h da manhã com um encontro de ciclistas no Largo do Machado e as 9h30 pedalada até a praça São Judas Tadeu - Cosme Velho. Vários grupos estão aderindo - Bike Anjo, Cyclophonica, o pessoal do Franco-Brasileiro...
O evento continua na praça São Judas Tadeu, mas isso eu divulgo depois.


4 comentários:

Vilma Goulart disse...

Isso mesmo, irmã! Parar de vez em quando é necessário.

Nada é por acaso. ;o)

Parabéns pelos 6 anos, amiga!!!

Bjão!

Anônimo disse...

Sou taurina e ri muito quando li q o signo influi na dificuldade de adaptação, é verdade!
Parabéns pelo blog!
Natália

Claudia Sardinha disse...

Puxa, pedalada!! Pena que é dia 7... dia que estarei na Bienal :P
Boa sorte e bom evento.
Qto ao celular... vc tem amigas tecnológicas que podem ajudar, não acha? rs
Bj
Sardinha

Anônimo disse...

Parabéns pelo evento e pela pedalada, que passou em frente a minha casa, na Rua Cosme Velho! A Cyclophonica, que eu não conhecia, passou tocando o Bolero de Ravel! Inesquecível!

Salvador Costa